UEMA PESQUISA

uemapesquisa

A Universidade Estadual do Maranhão (UEMA) apresenta hoje (27) seu mais novo programa: UEMA Pesquisa, um espaço para a divulgação de pesquisas e publicações científicas de acadêmicos e professores. O programa será mensal e poderá ser acompanhado através de nossas redes sociais: instagram, twitter youtube e facebook.

 

Realizada pela pesquisadora Raysa Valéria Carvalho Saraiva, com orientação do Prof. Dr. Tiago Massi Ferraz e a coorientadora Profa.Dra.Francisca Helena Muniz (UEMA)

A Cobertura do Cerrado no Estado do Maranhão é de cerca de 65%. Embora haja considerável número de publicações sobre o Cerrado maranhense, há escassez de dados sobre a flora de unidades de conservação, especialmente quanto a estrutura do estrato herbáceo-arbustivo, o que implica em dificuldades para estabelecimento de planos de manejo e obtenção de referências para restauração ecológica.

“ A ideia inicial do estudo partiu do grupo de pesquisa do meu orientador Prof. Dr. Tiago Massi Ferraz, que já desenvolvia pesquisas no Parque Nacional da Chapada das Mesas, no município de Carolina, juntamente com o Professores Dr. José Roberto Sousa e Dr. Fábio Figueiredo. Visando subsidiar trabalhos de Ecologia e Conservação , foi percebida a necessidade de caracterizar as fisionomias da vegetação e estabelecer padrões biogeográficos, com análises estatísticas multivariadas,”afirma a pesquisadora Raysa Valéria Carvalho Saraiva.

Especificamente, foram trazidos dados sobre o Cerrado do Maranhão (o bioma que tem maior cobertura vegetacional no Estado, cerca de 65% do território), que infelizmente é um dos atuais alvos de projetos agropecuários que geralmente resultam em perdas de área de vegetação nativa. O Cerrado do Parque Nacional da Chapada das Mesas é considerado ecotonal (ou transicional) por apresentar posicionamento geográfico na porção Sudoeste da área de Cerrado do Maranhão, onde faz fronteira com a Floresta Amazônica; e a presença de altitudes inferiores à do Cerrado do Planalto Central brasileiro permite que barreiras biogeográficas na distribuição de espécies sejam ultrapassadas e dessa forma possa haver maior troca entre espécies de vegetações adjacentes nesta região.

“É importante lembrarmos que estamos trazendo contribuições para o Cerrado, bioma conhecido como um “hotspot” para conservação mundial, por ser um ecossistema ameaçado com grande número de espécies endêmicas”, ressalta.

Essas características conferem potencial para abrigar espécies raras ou com menor distribuição nas áreas de Cerrado brasileiro e contribuíram para identificação da região como de elevada importância biológica, através de cálculo em estudo realizado pela organização WWF Brasil e o Ministério do Meio Ambiente brasileiro. Na pesquisa apresentada a descrição das novas espécies, Dyckia maranhensis Guarçoni & Saraiva e Ipomoea maranhensis D. Santos & Buril enfatizaram a importância biológica da área.

Para os próximos passos da pesquisa será feita a submissão de um manuscrito sobre fitossociologia e os resultados da interação planta-solo “ Estão em andamento pesquisas financiadas sobre Ecologia e efeito do fogo nas áreas de Cerrado do parque sob a coordenação do Prof. Tiago Massi Ferraz e equipe de pesquisadores dos Programas de Pós-Graduação em Agricultura e Ambiente e em Agroecologia da UEMA.” conclui a pesquisadora.

O trabalho foi apresentado em três artigos que saíram neste ano de 2020 nos periódicos científicos Systematic Botany, Phytokeys e Annals of Brazilian Academy of Sciences. Confira abaixo os artigos completos:

– Cerrado physiognomies in Chapada das Mesas National Park ( Maranhão , Brazil) revealed by patterns of floristicsimilarity and relationships in a transition zone. Acesse aqui  https://www.scielo.br/pdf/aabc/v92n2/0001-3765-aabc-92-02-e20181109.pdf

– Dyckia maranhensis (BROMELIACEAE,PITCAIRNIOIDEAE), A NEW SPECIES FROM THE CERRADO OF MARANHÃO, NORTHEASTERN BRAZIL. Acesse aqui. l  https://bioone.org/journals/Systematic-Botany/volume-45/issue-1/036364420X15801369352289/Dyckia-maranhensis-Bromeliaceae-Pitcairnioideae-a-New-Species-from-the-Cerrado/10.1600/036364420X15801369352289.short

– A threatened new species of Ipomoea (Convolvulaceae) from the Brazilian Cerrado revealed by morpho-anatomical analysis. Acesse aqui https://phytokeys.pensoft.net/article/49833/

A Universidade Estadual do Maranhão (UEMA) apresenta na segunda edição do UEMA Pesquisa, o trabalho: “Taxonomia de Leptophlebiidae Banks.1900 (Insecta: Ephemeroptera) para o Estado do Maranhão,” pesquisa desenvolvida pelo mestrando Stênio Raniery de Sousa Nascimento, orientador Carlos Augusto Silva de Azevedo e coorientador Lucas Ramos Costa Lima.

Os efemerópteros (Ephemeroptera) são uma ordem de insetos aquáticos, popular e  presentes no mundo todo, exceto na Antártida. Na pesquisa apresentada uma lista de verificação e novos registros de Leptophlebiidae (Ephemeroptera) foram apresentados para o estado do Maranhão, região Nordeste do Brasil. Foram identificados 15 gêneros e 20 espécies de Leptophlebiidae , sendo que no Maranhão aumentou de três para 21 o número de espécies.

“A ideia inicial do estudo se deu pelo fato de ocorrer poucos trabalhos sobre a ordem Ephemeroptera no estado do Maranhão e se tratando da família Leptophlebiidae até então só existia o registro de uma única espécie. A maioria dos estudos publicados para o Maranhão são ecológicos e os dados apresentados na sua grande maioria chegam somente até nível genérico,” ressalta o pesquisador Stênio Raniery.

Essa baixa representatividade está relacionada ao pequeno número de pesquisadores taxonomistas no Estado o que acaba gerando baixo conhecimento sobre a diversidade de Ephemeroptera tanto para a região Nordeste quanto para o Maranhão.

“Para a realização deste estudo tivemos a colaboração do pesquisador especialista Prof. Dr. Lucas Ramos Costa Lima da UESPI de Campo Maior para auxiliar na identificação das espécies.Para as coletas em campo tivemos o auxílio de pesquisadores do Laboratório de Entomologia Aquática – LEAq do CESC UEMA.”

Com a realização da pesquisa e os trabalhos publicados foi possível colocar o estado do Maranhão em evidência sobre o conhecimento da família Leptophlebiidae como também para a ordem Ephemeroptera. Foi possível descrever espécies novas e estágios de vida desses insetos ainda desconhecidos. Novos registros foram publicados para o estado do Maranhão,para a região Nordeste e para o Brasil.

“O próximo passo é publicar mais três espécies novas para o Estado, uma delas referente ainda a pesquisa da dissertação, onde já se encontra em processo de publicação. As outras duas foram encontradas nesse ano de 2020 e ainda está em processo de descrição e elaboração do manuscrito. Eu fui aprovado recentemente para o curso de doutorado no Programa de Pós-Graduação em Ciências Biológicas (Entomologia) pelo INPA onde vou da continuidade as pesquisas relacionadas a ordem Ephemeroptera. Esta pesquisa sem dúvida servirá de ponto de partida para futuros trabalhos de taxonomia, sistemática, ecologia entre outras áreas de pesquisa  ,”conclui o pesquisador.

Confira os artigos completos publicados:

– A new species of Traverella Edmunds, 1948 (Ephemeroptera: Leptophlebiidae) from Brazil https://doi.org/10.11646/zootaxa.4619.1.12

– Description of the nymph of Thraulodes sternimaculatus Lima, Mariano & Pinheiro, 2013 (Leptophlebiidae: Ephemeroptera) from Northeastern Region of Brazil https://doi.org/10.11646/zootaxa.4683.2.7

– The nymph of Hermanellopsis arsia Savage & Peters, 1983 (Ephemeroptera: Leptophlebiidae) from Brazilian Northeastern Region

https://doi.org/10.11646/zootaxa.4768.4.10

– Leptophlebiidae Banks, 1900 (Insecta, Ephemeroptera) from Maranhão state, Brazil https://doi.org/10.15560/16.3.579

O programa UEMA Pesquisa é mensal e pode ser acompanhado através de nossas redes sociais oficiais: instagram, twitter youtube e facebook.

Por: Priscila Abreu

O Uema Pesquisa desse mês apresenta o Projeto ” A poética da Desaceleração na ficção Distópica Fahrenheit 451, de Ray Bradbury,” da aluna Andressa Silva Sousa com orientação do Prof. Dr. Emanoel Cesar Pires de Assis do Programa de Pós Graduação em Letras.

O estudo faz uma interessante reflexão sobre como a evolução tecnológica impôs à sociedade um status incessante de urgência e rapidez e como as relações humanas estão, hoje, pautadas por uma cultura da velocidade.

“A ideia surgiu durante o cumprimento dos créditos da disciplina “Literatura e outras Mídias”, do curso de Mestrado em Letras da UEMA (Teoria Literária). A disciplina foi ministrada pelo meu orientador, Dr. Emanoel César Pires de Assis, que apresentou-nos a obra Fahrenheit 451(1953) em uma de suas aulas. A leitura inicial feita por ele me chamou bastante atenção, aguçando a minha curiosidade. Decidi comprar a obra e lê-la. Li e amei. Ao final da disciplina, resolvi escrever o artigo final baseado nela. Assim, esse trabalho de conclusão da disciplina serviu de protótipo para a construção da Dissertação, posteriormente,”afirma a mestranda Andressa Silva.

A Literatura, agindo contra a tirania da efemeridade contemporânea, revela aquilo que eles denominam de poética da desaceleração, demonstrando como Guy Montag e Clarice McClellan, personagens do romance de Ray Bradbury, aos poucos descobrem que é necessário, em meio ao turbilhão de eventos que acontecem praticamente ao mesmo tempo, aprendem a (re)olhar o mundo e as relações humanas.

Segundo a pesquisadora, a perspectiva escolhida para análise da obra possibilitou compreendê-la enquanto crítica à forma de viver do homem moderno e das consequências deletérias desse modo de existir. Considerando, portanto, que “ser moderno” significa, essencialmente, “ser incapaz de parar”, como afirmou Bauman (2001, p. 38); o estudo da obra “Fahrenheit 451″ (1953) torna-se relevante por seu caráter atual, confirmado ainda mais nesse contexto de pandemia.

Ao admoestar seus leitores acerca da lógica irracional do movimento acelerado e irrefreável em que a humanidade se lançou desde a modernidade capitalista, agudizado na contemporaneidade, a obra convida-os a desacelerar, movendo-se pela libertação dos efeitos de barbárie nesse sistema sócio-político-econômico. A obra de Bradbury ergue-se, ao mesmo tempo, como um Elogio à Literatura. Pois enquanto arte que se comunica através de uma linguagem não-imediata (FILHO,2007), toda obra literária carrega, em si, como potência, a Poética da Desaceleração -que é o ler-caminhar -, tão necessária para desviar o homem contemporâneo do ritmo frenético que o escraviza.⠀

“Atualmente, temos somente o artigo inicial publicado que foi escrito ao final da disciplina e encontra-se no e-book ” Literatura, Imagem e Mídias “, lançado pela Editora UEMA, neste ano. Recentemente, enviamos outro artigo para uma Revista, porém, ainda está em análise.⠀Temos a intenção de publicar mais artigos sobre a pesquisa em Revistas e, posteriormente, lançar um livro. Ademais, queremos aprofundar nosso olhar sobre pontos que não foram analisados na Dissertação e continuar desenvolvendo a pesquisa em uma possível tese de doutorado.”conclui a aluna.

Confira aqui para o artigo completo.

O programa UEMA Pesquisa é mensal e pode ser acompanhado através de nossas redes sociais oficiais: instagram, twitter youtube e facebook.

Por Priscila Abreu